• Andre Santos

DARK WITCH - The Circle of Blood


Nacional

Arthorium Records - 2015

Muito prazeroso quando nos deparamos em frente de uma banda executando suas músicas no palco, aí notamos o quanto a banda é excelente. O palco de fato demonstra a verdadeira essência da banda. Já como estamos acostumados em saber, as gravações de álbum ou qualquer ferramentas utilizada para divulgação exige toda uma manipulação para deixar o projeto mais homogêneo possível, para chegar ao mercado musical.

Sim, me surpreendi de fato de ver o grupo Santista Dark Witch se apresentando no palco. Hoje, a banda se apresenta como um Power Trio, e, foi incrível ver este “Trio” emergindo ótimas canções tiradas de seu último álbum The Circle of Blood, que soavam trovões de riffs.

E de fato pude notar que seu álbum The Circle of Blood, gravado no Studio G e no e DW Studio, masterizado e mixado por Felipe Querino em Sunshine Studio, e, a arte é assinada por Ygor Gatti Alves, sendo um dos registros mais maduro da banda, logo, portanto os caras têm alguns registros em Demos, Compilações e mais uma participação de um tributo a banda (Harppia). Então fica bem evidente que desde estes últimos registros até a chegada de “Full - Leght”, a banda construiu uma boa base de personalidade, cujo resultado é de um teor único, pois também temos o Bil Martins que traz uma grande soma à banda, o mesmo teve o seu nome divulgado por diversas vezes como um dos melhores vocalistas do Brasil, ele mesmo pode realizar uma Turnê pela Europa ao lado de HELLISH WAR, acumulando muita experiência, onde soube muito bem aplicar e imprimir sua marca própria na música de Dark Witch, trazendo uma personalidade distinta ao som da banda.

Partindo para o álbum The Circles of Blood, se formos resumir em pequenas palavras, ele é visceral e bem técnico de um trabalho consistente e maduro apresentando doze faixas autorais e mais um bônus, abrangendo uma atmosfera próxima ao universo mitológico, sim, pois a carga já da faixa título “The Circle of Blood”, demonstra muito talento e potencial da banda, só tomem cuidado pra não cantar os refrões juntos, de tão pegajosos. As seguintes faixas a seguir são “Wild Heart, Master of Fate, Cauldron, Firestorm e Stronghold” são responsáveis por colocar o sorriso em sua face. É meus amigos, aqui o álbum tem um gás diferenciado, o disco soa um pouco mais bruto, as rispidez da guitarra estão acentuadas e os drives e timbres estão em escala maior, fora todo conjunto lírico impecável.

Da metade do pacote em seguida temos a faixa “Blood Sentence”, que tem uma levada mais groovada, riffs bem encaixados. Em seguida, temos a “Liberty is Death, Lighthouse Reaper e Death Rain”, que dão um clima mais calmo ao pacote, mas já demonstrando as raízes de Dark Witch, as mesmas trazem uma qualidade técnica incrível e os arranjos bem definidos.

Para fecharmos as audições de suas composições autorais, temos a ótima canção “Siegfried”, retornando ao conceito musical do disco. E, por fim temos a “To Valhalla We Ride”, entoa o final de suas canções autorais, a cultura Vikings, aqui se apresenta bem executada em melodias e solos envolventes, a mesma é uma proposta que a banda trouxe ao seu som.

E, para fechar o pacote de fato temos a faixa bônus: esta mesmo foi um tributo à banda Harppia e sua canção escolhida foi a “Vozes da Consciência”, que esta muito bem executada e desenvolvida sua parte harmônica, fora o grande destaque de sua letra, interpretada por Tibério Correa (Harppia), dando um show à parte.

Sem dúvidas o álbum The Circle of Blood, demonstra o quanto o Dark Witch está maduro. E com certeza, um belo registro para o Metal brasileiro. Agora vamos ficar na torcida de um novo projeto, pois a banda já se encontra em processo de composição e produção para seu novo álbum, que provavelmente ocorrerá em 2018, ainda sem uma data definida.

Tracklist:

1. Circle of Blood

2. Wild Heart

3. Master of Fate

4. Cauldron

5. Firestorm

6. Stronghold

7. Blood Sentence

8. Liberty is Death

9. Lighthouse Reaper

10. Death Raid

11. Siegfried

12. To Valhalla We Ride

13. Voz da Consciência (bônus - Harppia)

Dark Witch:

Bil Martins - vocal e baixo

Décio Andolini - guitarra

André Kreidel - bateria

Contatos:

Facebook

Email

#AndreSantos #Bandas #HeavyMetal #DarkWitch #Álbuns #Resenhas #ResenhasdeDiscos

As opiniões expressas nesse site são de responsabilidade de seus autores e não expressam necessariamente a opinião de seus editores.

Site criado por JP Carvalho da JPGraphix, para Metal No Papel 2017 / 2020 - Todos os direitos reservados.

O site Metal no Papel tem sede à Rua Joaquim do Lago, 339 Casa - Balneário Mar Paulista, São Paulo, SP

CEP: 04463 - 080 - mnp.metalnopapel@gmail.com