• Andre Santos

SOMBERLAND – Conheça sua trajetória no Metal Nacional (Entrevista)


Santa Catarina, Sul do Brasil é o berço musical da horda Somberland. E, desde o seu primeiro Ep, a banda veio desenvolvendo o seu trabalho, até a chegada de seu primeiro álbum de estúdio intitulado de Pest’Ology. Este mesmo projeto deu um ponta pé inicial em sua carreira, sendo comentados por algumas mídias especializadas no gênero Metal, os destacando entre os dez melhores do ano 2107. Como: melhor álbum de Black Metal e de lançamento Nacional. Aproveitando esta ocasião nós do Metal no Papel, batemos um papo com a banda Catarinense, sobre sua projeção na cena Undergorund. Acompanhe!

MNP: Como a banda começou e o que os levaram a formá-la?

Somberland: A Somberland foi idealizada pelo W.A.G. e eu (E. Nargoth).

Somos amigos de longa data e sempre conversávamos sobre montar algum projeto, demorou quase 20 anos, mas finalmente concretizamos nossos planos.

Nossa motivação sempre foi o Metal, e o Black Metal veio naturalmente tanto pela música e ainda mais pela ideologia.

MNP: Quais as maiores dificuldades que estão encontrando dentro do cenário, sendo uma horda de Black Metal?

Somberland: Por sermos uma banda relativamente nova estamos com um pouco de dificuldade em conseguir datas para shows, sendo que o Brasil está inundado com excelentes bandas, ainda temos muito que trabalhar para conquistar nosso espaço, mas de fato que não deve ser exclusividade do Black Metal.

MNP: Por ser uma horda de Black Metal, muitas pessoas têm ainda aquela imaginação que uma banda que cultua o paganismo tem que ser européia e viver nesses Países gélidos. Mas em nosso País por mais que seja tropical, temos diversos assuntos sendo abordados e até mesmo uma cultura pagã. Então, de que forma a horda enxerga o conceito Black Metal no Brasil?

Somberland: Julgar as outras bandas nunca fez parte do nosso feitio, nos preocupamos com nosso trabalho em primeiro lugar. Mas em linhas gerais não vemos problemas algum em bandas seguirem diferentes temas dentro do estilo, desde que seja um trabalho honesto, foda-se. Mas isso é nossa opinião, não pretendemos mudar a de ninguém, se alguém concordar, ótimo.

MNP: Como se encontra as condições da região em que vocês residem, em questão do Metal e suas vertentes? Há espaço? Conseguem tocar com regularidade? As estruturas são adequadas?

Somberland: Atualmente SC está sendo palco de grandes eventos, e a maioria de excelente qualidade oferecendo toda a estrutura necessária para proporcionar uma boa qualidade, tanto para o público quanto para as bandas. Tivemos oportunidade de tocar em alguns deles e não tivemos arrependimentos.

Grandes nomes do cenário nacional e internacional já pisaram por aqui.

Infelizmente nem todos os “Fest” tem um público merecido pois algumas pessoas não sabem dar valor e preferem ficar em casa nas redes sociais discutindo sobre assuntos que não interessam (pelo menos não deveria) a quem realmente vive o metal.

MNP: Em termos de Brasil, o que ainda falta para o cenário funcionar? Qual a opinião da banda neste ponto?

Somberland: Se tratando de bandas com qualidade, o cenário nacional esta forte, não deve em nada para os gringos. O que vemos por aqui é que falta um pouco de apoio por parte do público, muitas vezes vemos grandes “Fest’s” e shows que o público não comparece, e frente as plataformas digitais o que faz uma banda seguir em frente são os shows.

MNP: Hoje como se encontra as composições da banda? Elas são feitas em conjunto com o grupo, ou cada membro trazem suas idéias e a partir daí é desenvolvido o contexto?

Somberland: Não temos regra para compor. Algumas músicas chegam ao ensaio praticamente prontas, outras são construídas em conjunto. Desta forma conseguimos compor de forma variada, sem cair em uma forma engessada.

MNP: Desde o lançamento do (Ep) Dark Silence Of Death em 2016, este mesmo projeto foi um ponta pé para mais novo recente álbum intitulado de Pest ‘Ology lançado quase no fechamento do ano. Notamos que o conceito do Ep, se agrega de alguma forma no álbum ou estamos enganados? Conte-nos sobre estes dois projetos.

Somberland: O retorno que o EP nos proporcionou foi uma grata surpresa, abriu muitas portas para gente.

Com certeza, o álbum “Pest’Ology” é praticamente uma continuação do EP, quando gravamos o “Dark Silence Of Death” já tínhamos boa parte das musicas que estão no álbum compostas, então todas elas fazem parte de um mesmo contexto.

Claro que a mudança de formação que ocorreu entre os dois proporcionou uma outra pegada as músicas e a banda de forma geral.

MNP: Em Pest’Ology notamos que a arte desenvolvida pelo “Marcelo Vasco” remete a peste negra que devastou a Europa e Ásia. Este projeto teve a mão da banda no desenvolvimento do mesmo, ou ficou tudo a cargo do Design? As composições em si, estão entrelaçadas na arte do álbum?

Somberland: O Marcelo com certeza esta entre os maiores artistas do Metal mundial.

O álbum “Pest’Ology” é conceitual, nossa intenção foi abordar o tema a cerca da maior peste que a séculos assola a humanidade, o cristianismo. Descrevemos essa idéia para o Marcelo e o resto ficou a seu encargo.

MNP: Todo o projeto desenvolvido no novo álbum atendeu às expectativas da horda? Como a banda está digerindo essa repercussão, ou ainda é recente para fazer essa análise?

Somberland: Com certeza, atendeu e na realidade ficou a cima da nossa expectativa.

Só temos recebido excelentes feedback e ótimas resenhas, fomos citados entre os 10 melhores álbuns de Black Metal e também entre os 10 melhores álbuns nacionais de 2017.

Mas como dissemos anteriormente, ainda temos muito trabalho pela frente até cravarmos nosso nome no underground nacional.

MNP: Quais os planos para este ano de 2018 além da divulgação do Pest’Ology?

Somberland: Estamos na batalha para conseguir shows para divulgação do nosso trabalho, e também já estamos trabalhando em musicas novas já pensando no próximo álbum.

E para fecharmos deixem suas considerações finais aos nossos leitores.

Gostaríamos de agradecer ao André Santos e Metal no Papel pela oportunidade, agradecer também a Heavy Metal Rock por nos apoiar e ter realizado um grande trabalho no nosso álbum e também agradecer a todos os amigos que nos apoiaram, apóiam e seguem ao nosso lado, haill! Sigam firmes em seus propósitos!

Somberland é formado por:

W.A.G. - Drums

Nargoth - Bass/Vocal

Diavolus - Guitar

Dmortest – Guitar

Gravadora:

Heavy Metal Rock

Contatos:

Facebook

#AndreSantos #Bandas #BlackMetal #Entrevistas #Somberland

As opiniões expressas nesse site são de responsabilidade de seus autores e não expressam necessariamente a opinião de seus editores.

Site criado por JP Carvalho da JPGraphix, para Metal No Papel 2017 / 2020 - Todos os direitos reservados.

O site Metal no Papel tem sede à Rua Joaquim do Lago, 339 Casa - Balneário Mar Paulista, São Paulo, SP

CEP: 04463 - 080 - mnp.metalnopapel@gmail.com