• Andre Santos

DEVASTATION’S SONGS – Primeiro disco de apresentação da banda Kadabra


Independente - 2017

Nacional

Fotos: Zamba Fotografias

Por mais que seja uma banda nova no Underground Nacional, os caras têm uma boa experiência no ramo musical. Os integrantes sempre estiveram envolvidos nos projetos da cidade produzindo eventos de Rock e Metal autoral como: o Carqueja e Noises Gate. E, aproveitando a experiência adquirida, os caras da cidade de Vinhedo, interior de São Paulo se jogam na estrada como um Power Trio, com fortes influências no Heavy Metal, mesclando a fúria do Thrash Metal, influenciado pela a Bay Área, resultando em um som forte e cheio de personalidade, mas com muita propriedade que só o Power Trio soube acrescentar, resultando em som único, original, bem a cara do próprio Kadabra.

É bem perceptível que a linguagem do Kadabra caminha para o tradicional, mas feita de uma forma excelente, pois as influências do Heavy e o Thrash Metal tradicional, só veio a somar na sonorização elaborada pelo Power Trio, sendo que a banda apresenta uma ótima energia em suas composições que estão recheadas de muita agressividade e estilo. Suas construções estão repletas de bases cadenciadas, as melodias e arranjos se destacam em cada canção interpretada pela banda. O Trabalho soa muito bem e é realmente promissor.

Devastation’s Songs, é o primeiro disco de trabalho da banda, e, sem dúvidas este Power Trio começou com o pé direito com este projeto. É muito bacana de se ver, pois isso demonstra o comprometimento com a proposta que a banda tem a apresentar. Fica muito evidente a habilidade e o domínio do estilo presente no álbum. A produção é boa, cuja ficou a cargo de Márcio Pacheco, sendo que soa um pouco mais crua, mas nada que prejudique a sonorização da banda. O clima do pacote é espontâneo e é quase uma “Live”, já que é notável a ausência das bases, enquanto os solos são executados (uma fórmula utilizada pela banda). Tudo soa de forma clara, os timbres dos instrumentos estão bem nivelados.

Já a arte desenvolvida para capa é simples, porém caprichada e bem chamativa, pois de alguma forma o Danilo Souza (baixista da banda), soube prender nossa atenção à sua arte, dando uma grande curiosidade do que iremos encontrar dento do “Petardo”.

O Kadabra, ganha notoriedade no estilo utilizado em suas composições, agregado de muita criatividade, surpreendendo muito com os arranjos bem feitos e bem encaixados nas melodias, temperado na medida certa. As harmonias são envolventes, dando um ótimo clima em todo o pacote, bases rítmicas sólidas com boa dose de técnicas, aliados a um vocal competente.

Devastation’s Songs abre os serviços basicamente de forma simples trazendo uma introdução comum, cedendo espaço para a faixa agressiva e variada “The Cage”. A pegada da canção é bem apresentada, bases pesadas com riffs simples aliados ao vocal de Paulo Bertoni, que se mescla as vozes melodiosas e agressivas no que o estilo pede no momento do desenvolvimento da mesma. Em seguida temos “Rite of Disorder”, que traz um mix bem legal no seu desenvolvimento, o peso e as melodias soam mais ácidas, vocais e refrões estão em perfeitas harmonias, acompanhados da rítmica pesada presente, dando um belo clima a composição.

“Chosen Few” tem um jeitão explosivo e cativante (os refrões de Chosen, te pega na veia), com uma levada mais Heavy, claro, sem perder a essência do Thrash Metal, tudo gerado em um ambiente perfeito para interpretação climática que por sinal está muito bacana nesta faixa. A quarta faixa “Back Home” vem muito bem arranjada nas construções, a mesma traz uma introdução mecânica envolvente, logo abrindo caminho para as variações rítmicas, baixo e bateria demonstram ótimos trabalhos de entrosamento, enquanto o Paulo Bertoni se encarregada das melodias e bases, fora suas variações vocais que trabalham de forma excelente, entre o melodioso e os urros, (uma das canções que chama atenção em seu pacote).

Opa! Chegamos na porradeira do álbum: “Obliterate” é de um belo soco nos tímpanos. Os timbres e harmonias estão muito bem encaixados, peso e rispidez na medida certa, sem exagero. É, daqui para frente o pacote conta com um pouco mais de gás. Outra que chega mostrando muita competência é “Pay the Price”, que além de seu peso bruto, os jogos de vozes estão bacanas. Em seguida, temos a faixa titulo do “Petardo”, a brutalidade de “Devastation’s Songs”, come solta por seus riffs ácidos, e, novamente a base rítmica do Power Trio se destaca, o baixo e bateria trazem um peso absurdo na condução da composição.

Sem perder o clima imposto da metade do disco para cá, a banda só vem enchendo os nossos tímpanos de muito gás envolvente com “You Are A Lie”. Seguindo esta mesma linha, temos a “Death Penalty”, repleta de riffs e acordes viciantes (quando você percebe, já está envolvido batendo o pescoço), ótima canção. E para fecharmos a audição, temos a “Pictures Of War”, outra excelente faixa que se destaca muito em seu pacote de canções. De fato, o Power Trio Kadabra demonstra que não veio somente para tocar fogo no palheiro, mas sim, trazer algo de qualidade e de comprometimento com a música autoral.

Ressalva: Devastation’s Songs chamou muito minha atenção mesmo da metade para fim, se destacando bastante na audição! E sem dúvida, o álbum de estréia é muito bom e o Kadabra, demonstra que tem muito potencial para se destacar dentro do Thrash Metal Nacional.

Tracklist:

1. Introspective

2. The Cage

3. Rite Of Disorder

4. Chosen Few

5. Black Home

6. Obliterate

7. Pay the Price

8. Devastation’s Songs

9. You are A Lie

10. Death Penalty

11. Pictures Of War

Kadabra:

Paulo Bertoni – vocal/ guitarra

Danilo Souza – Baixo

Marcos Frassão – bateria

Contatos:

Facebook/Kadabra

Page/Kadabra

#AndreSantos #Álbum #Bandas #ThrashMetal #Kadabra #Resenhas #ResenhasdeDiscos #DevastationsSongs

As opiniões expressas nesse site são de responsabilidade de seus autores e não expressam necessariamente a opinião de seus editores.

Site criado por JP Carvalho da JPGraphix, para Metal No Papel 2017 / 2020 - Todos os direitos reservados.

O site Metal no Papel tem sede à Rua Joaquim do Lago, 339 Casa - Balneário Mar Paulista, São Paulo, SP

CEP: 04463 - 080 - mnp.metalnopapel@gmail.com