• Andre Santos

MX: A Circus Called Brazil, case - se muito bem com a situação de nosso país


Lançamento 2018 - nacional

Selo: Shinigami Records

Uma das mais tradicionais e respeitada banda de Thrash Metal do Brasil, formada na região do grande ABC paulista (um dos polos musicais e movimentos culturais extremos, mais importantes de nosso País). O MX após o seu retorno, segue firme representando o genuíno Thrash Metal Brasileiro.

Não há muito o que falar, de uma banda tão emblemática do gênero, pois quem conhece o trabalho dos caras, sabem que vão estar diante de um trabalho bem consistente e maduro, já que isso não é o que falta na banda, considerando sua bagagem musical. Depois de um bom e longo tempo sem lançar um álbum de inéditas, o MX prova aos seus fãs e entusiastas que o seu novo lançamento intitulado de “A Circus Called Brazil” de dez faixas. Valeu muito a pena esperar, já que o álbum se demonstra uns dos melhores discos de estúdio, feito pela banda, pois este novo “Petardo” soa bem interessante dentro de sua carreira, onde os mesmos trouxeram para dentro do projeto letras ácidas e totalmente inflamáveis, junto ao instrumental experiente.

O disco carrega consigo a verdadeira bandeira do Thrash Metal, com ar mais juvenil, passando longe da mesmice do Old School, pois o “A Circus Called Brazil” é carregada de novos ares, já por diversas vezes escutando o álbum, fica perceptível nas audições, que a banda teve uma grande preocupação e um bom apuro de dar um passo adiante nas composições, no que resultou em disco mais elaborado no que amplia os novos horizontes. A banda permitiu que os músicos saísse um pouco daquela zona de conforto, dando um up a mais em sua discografia.

E, antes mesmo do lançamento oficial de “A Circus Called Brazil”, a banda veio trabalhando em um vídeo oficial de uma das faixas, “Fleeing Terror”, no que já daria ao fã a noção do novo material e sua característica. Já com a capa divulgada, no que trouxe a assinatura do artista e escultor Cleyton Amorim, que teve a preocupação de deixar uns dos símbolos do MX, em evidência o conhecido padre Simon, figura que já é uma marca explorada pela banda há um bom tempo.

Já na produção, e, na própria elaboração das letras, teve as mãos dos músicos “Alexandres” da Cunha e Dumbo, e todos os processos de gravação, masterização e mixagens, feitas pelo Tiago Hóspede e a própria banda MX, no Estúdio Lamparina/ SP, no que resultou em um ótimo registro, como já citado nos parágrafos acima mencionando a faixa “Fleeing Terror”, que é a faixa responsável pela abertura do disco, já empolgando de cara. Mas o disco não se resume apenas em seu início, pois temos nove faixas pela frente. E dando sequência no mesmo temos a próxima faixa de um feeling incrível, “Murders”, que é um “Threshão” de cair o queixo, riffs picantes acompanhados de uma rítmica impecável, onde o “Drumman” Alexandre, conduz a canção de forma insana.

Já na terceira, faixa temos a “Mission”, que além dela trazer um ar renovado na elaboração lírica da banda, a mesma soa bem cadenciada, cheia de solos bem bacanas. E sem perder o ritmo do pacote, temos a porradeira “Luck”, puta gás, além do tradicional Thrash Metal, algumas pitadas do veloz Speed se faz presentes nos acordes mais ácidos.

Na metade do álbum, temos uma linha mais arrastada, a faixa “Cure And Disease”, que apresenta bases fortes e uma rítmica envolvente, carregada de bons solos, novamente o disco ganha gás agora através de “Toy Soldier”, faixa cavala com todos os elementos presente, bases marcantes de muita energia. Outra que ganha destaque pelo conjunto da rítmica entre a bateria e cordas é “Keep Yourself Alive”, podemos considerar como uma das carro chefe do álbum, pelas suas bases envolventes.

Daqui pra frente, a dinâmica do disco só ganha gás, através das pauladas dadas por “Marching Over Lies” e “Apocalypse Watch”. Essas canções estilhaçam os tímpanos, antes mesmo da próxima e última faixa título do álbum “A Circus Called Brazil” , que além da mesma trazer uma lado cômico presente na introdução, a mesma apresenta uma lado duro de nosso País, muito bem representada pela banda MX, e, ainda para dar aquela cutucada ácida tem a presença da voz monstruosa de Alexandre Cunha, horas chega até confundir com a do músico João Gordo do Ratos de Porão, dando aquele leve soco no pé da sua orelha.

Para quem é fã e que tenha em suas coleções os álbuns anteriores da banda MX, o novo álbum A Circus Called Brazil é um item indispensável ao Metalheads apreciador da banda, e, para aqueles que ainda estão por vir a conhecê-la. Só resta parabenizar a banda pelo excelente trabalho projetado em sua carreira, no que soma em mais um belo registro em sua discografia.

Tracklist:

1. Fleeing Terror

2. Murders

3. Mission

4. Lucky

5. Cure And Disease

6. Toy Soldier

7. Keep Yourself Alive

8. Marching Over Lies

9. Apocalypse Watch

10. A Circus Called Brazil

Line-up MX:

Alexandre Cunha – vocal e bateria

Alexandre Dumbo – baixo

Alexandre Morto – guitarra e voz

Décio Jr. - guitarra

Acompanhe a banda MX, nos links:

http://www.bandamx.com.br/

https://www.facebook.com/mxthrash/

mxthrashmetal@gmail.com

#Álbuns #LançamentodeÁlbum #Bandas #MX #ThrashMetal #Novidades #ResenhasdeDiscos #Resenhas #AndreSantos

As opiniões expressas nesse site são de responsabilidade de seus autores e não expressam necessariamente a opinião de seus editores.

Site criado por JP Carvalho da JPGraphix, para Metal No Papel 2017 / 2020 - Todos os direitos reservados.

Fale conosco:   mnp.metalnopapel@gmail.com