top of page
  • Foto do escritorMaria Correia

Barulho, livro pioneiro do rock no Brasil, ganhará edição de luxo e ampliada


Campanha de financiamento coletivo do relançamento da obra clássica do jornalista André Barcinski fica no ar de 1º de março a 30 de abril

O clássico livro Barulho, com textos e fotos de André Barcinski, vencedor do Prêmio Jabuti de 1993 na categoria “Reportagem” e que revelou ao Brasil o Nirvana e a cena “grunge” de Seattle e trouxe entrevistas com Ramones, The Cramps, Red Hot Chili Peppers, Ministry, Jello Biafra e outros, será enfim relançado em edição de luxo e ampliado. Terá 60 fotos inéditas (L7, GG Allin, Soundgarden, Alice in Chains, Flaming Lips, YoLa Tengo, Hole, Black Sabbath, Body Count e muito mais), 70 páginas a mais, com novo prefácio escrito por Marcelo D2, entre outras novidades.


A reedição de Barulho, considerado livro pioneiro de rock no Brasil e que atravessou três décadas com um vigor único, é um lançamento independente, realizado pelo autor, e a partir de 1º de março já pode ser adquirido por meio de uma campanha de financiamento coletivo. A campanha fica no ar até 30 de abril.


Garanta sua cópia de Barulho – 30 anos aqui: apoia.se/barulho30anos.

Barulho – 30 anos tem formato grande (27 por 23 centímetros) em capa dura e papel couchê com quatro cores, 200 páginas (70 páginas a mais que o original), uma inédita segunda parte com 60 fotos nunca publicadas, além do já citado prefácio escrito por Marcelo D2 (Planet Hemp).


As recompensas ao participar do financiamento coletivo de Barulho – 30 anos são: receber em casa o livro com dedicatória personalizada, autografada pelo autor e com nome impresso na lista de agradecimentos do livro, quatro fotos 25 x 19 centímetros em papel fotográfico (Nirvana, Ramones, The Cramps e Alice in Chains) e dois meses de assinatura do site de jornalismo cultural www.andrebarcinski.com.br.


“Acho que dei muita sorte ao fazer o ‘Barulho’”, diz André Barcinski. “Dei sorte de estar nos Estados Unidos no fim de 1991, exatamente na época em que o Nirvana começava a estourar e num período em que grandes discos eram lançados toda semana. Era outra época, em que o acesso aos artistas era muito mais fácil, e o rock alternativo estava no auge”.


Barulho, um livro pioneiro

Em 1992, o jornalista André Barcinski lançou “Barulho – Uma Viagem Pelo Underground do Rock Americano”, relato de uma viagem aos Estados Unidos, realizada entre setembro e novembro de 1991.


Barcinski visitou cinco cidades – São Francisco, Los Angeles, Nova York, Chicago e Seattle – entrevistando bandas importantes em cada uma delas.

Em São Francisco, falou com Jello Biafra, ex-líder do grupo Dead Kennedys e um ícone do movimento punk, e entrevistou a banda The Cramps, liderada pelo casal Poison Ivy e Lux Interior.


Em Los Angeles, o grupo Red Hot Chili Peppers, que acabava de lançar o celebrado álbum “BloodSugar Sex Magik”, convidou o autor para ver o último ensaio antes da turnê.

Em Nova York, Barcinski visitou o amigo Joey Ramone, acompanhou shows dos Ramones e explorou a cena hardcore de bandas como Agnostic Front, Rest in Pieces, Sheer Terror, Lunachicks, Murphy’s Law e Sick of it All.


Em Chicago, visitou o duo Ministry, que gravava o famoso single “Jesus Built My Hot Rod”.

E em Seattle, viu de perto a explosão da cena “grunge”, presenciando o show histórico do Nirvana no Teatro Paramount, e entrevistou outras bandas fundamentais daquela cena, como Mudhoney e TAD.

Barulho, 30 anos depois

Nos últimos anos, “Barulho” havia se tornado item de colecionador. O livro estava fora de catálogo há mais de duas décadas e vendido por quantias exorbitantes na Internet.

Barcinski decidiu relançar o livro, mas em versão de luxo e ampliada. Assim, todos os negativos e slides da edição original foram limpos e escaneados, resultando em imagens com nitidez, cores e contraste impecáveis.


Além disso, a nova edição conta com uma segunda parte, “Mais Barulho”, que traz cerca de 60 fotos inéditas de Alice in Chains, ArrestedDevelopment, Babes in Toyland, Black Sabbath, Body Count, Brian Setzer Orchestra, Buddy Guy, The Damned, Eugenius, Eurythmics, Fishbone, Flaming Lips, Front 242, G.G. Allin, Hole, IggyPop, Jesus Lizard, Jethro Tull, L7, Legião Urbana, Moby, Motorhead, Rage Against the Machine, Rancid, Raul Seixas e Paulo Coelho, Soulfly, Soundgarden, Steve Albini, Teenage Fanclub, Terence Trent D’Arby e Yo La Tengo.


André Barcinski, o autor

André Barcinski é autor, jornalista, roteirista e diretor de TV. É crítico de cinema e música. Escreveu oito livros, incluindo “Barulho” (1992), vencedor do prêmio Jabuti de melhor reportagem. Acaba de entregar um livro sobre o cantor Nelson Ned, que sairá em 2023 pela Cia. das Letras.


É criador e roteirista da série “O Rei da TV” (Star+), sobre Silvio Santos. Dirigiu a série documental “História Secreta do Pop Brasileiro” (2019), na Amazon Prime, e escreveu a série dramática “Hit Parade” (2021), no Canal Brasil.


Dirigiu o documentário “Maldito” (2001), sobre o cineasta José Mojica Marins, vencedor do Prêmio do Júri do Festival de Sundance (EUA) e do Prêmio do Público do Festival É Tudo Verdade (São Paulo). O filme foi exibido em cerca de 15festivais internacionais – Chicago, Melbourne, Seul, Paris, Buenos Aires e Nova York – e em TVs de cerca de 20 países.

Roteirizou a série de TV “Zé do Caixão” (2015), do canal Space, e dirigiu inúmeros programas de TV, como “O Estranho Mundo de Zé do Caixão”, “Eletrogordo” (com João Gordo) e “Nasi Noite Adentro”, do Canal Brasil.


Foi coapresentador do programa de rádio “Garagem”, vencedor do Prêmio APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) em 2009.


Mais informações


Fonte: Tedesco Comunicação & Mídia

Comments


bottom of page