top of page
  • Foto do escritorMaria Correia

Brant Bjork entrega aula de psicodelismo e talento musical no palco da Casa Áurea



Texto: Guilherme Góes Fotos: Ygor Monroe

Na sexta-feira, dia 8, o público paulistano entusiasta de música psicodélica foi agraciado com o tão aguardado retorno do lendário guitarrista Brant Bjork, fundador da icônica banda Kyuss e ex-membro do Fu Manchu. O evento aconteceu na Casa Áurea, anteriormente conhecido como Café Aurora, um dos locais mais renomados para apresentações covers na capital paulista. Sob nova gestão, o local vem expandindo seu mix de atrações, incluindo performances autorais em sua agenda. 


Quando tudo aparentava ir de mal a pior…

Algumas horas antes da apresentação, a cidade de São Paulo foi castigada por uma chuva intensa, o que resultou em trânsito caótico e diversos pontos de alagamento. Além disso, a casa de shows se encontra a uma distância considerável das estações de metrô. Todos esses fatores sugeriam que a segunda apresentação de Brant Bjork na maior metrópole da América do Sul seria um completo fracasso. No entanto, a realidade foi bem diferente. O público lotou completamente o espaço, demonstrando que, quando a música é de qualidade, as pessoas estão dispostas a enfrentar desafios e sacrifícios para desfrutar de um espetáculo ao vivo.


A abertura da noite ficou a cargo do grupo carioca Psilocibina. Com sua mistura única de elementos do jazz e uma sonoridade experimental, o trio destaca experiência musical interessante. Infelizmente, devido a circunstâncias imprevistas, este repórter que vos escreve acabou perdendo grande parte da apresentação dos rapazes. No entanto, mesmo tendo chegado apenas para as duas últimas músicas, deu para perceber que o grupo entrega uma sonoridade cativante.


Em seguida, veio Grindhouse Hotel, nome pioneiro do rock underground paulistano. Com sua poderosa sonoridade stoner, os músicos cativaram a plateia, que acompanhou a performance com total atenção e entusiasmo. O set contou com algumas músicas antigas, mas o foco foi nas apresentações de novas composições, que estarão presentes em um futuro lançamento do grupo.



Às 22h30 em ponto, o carismático Brant Bjork subiu ao palco da Casa Áurea, ostentando seu visual hippie marcante, acompanhado por Mario Lalli no baixo e Ryan Gut na bateria. Após uma simpática saudação, o frontman deu início ao set com "Buddha Time", envolvendo imediatamente o público com um riff psicodélico relaxante, que acabou combinando perfeitamente com uma densa névoa de fumaça que pairava no ar, cortesia de um equipamento especial do clube. A performance seguiu com "Bread For Butter", porém foi prejudicada por um problema de microfonia. Apesar disso, a banda não se abalou e continuou a tocar normalmente, mantendo a energia alta.


Sem muitas pausas para conversa, o trio seguiu em uma jornada sonora, transportando a platéia para uma viagem psicodélica com faixas como "Cleaning Out The Ashtray", "Let Truth Be Known", "73", "You're a free" e a inédita "Sunshine". Certamente, Brant era o centro das atenções, mas o baixista Mario Lalli não passou despercebido, dominando a cena em diversos momentos com slaps furiosos, pizzicatos ágeis e tappings precisos. Seu domínio do instrumento rendeu-lhe merecidos aplausos em todas as oportunidades que foi o holofote da apresentação. Um talento excepcional, que merece muito mais reconhecimento.

No encerramento do bloco regular, "Low Desert Punk" e a dobradinha "Lazy Bones / Automatic Fantastic" levaram a plateia à euforia. As composições foram estendidas com passagens improvisadas, resultando em alguns dos momentos mais intensos da noite. Após um breve intervalo para o bis, Brant e seus músicos retornaram para apresentar "Too Many Chiefs… Not Enough Indians". De forma incomum, o lendário guitarrista escolheu duas novas músicas para encerrar a noite - "Back In The Day" e "I Don’t Know".


Apesar da falta de diálogo com os fãs, a apresentação foi repleta de energia e virtuosismo. O som de Brant Bjork é uma verdadeira celebração da essência do rock psicodélico dos anos 70, resultando em uma experiência única e original.



Setlist:

  • Buddha Time

  • Bread for Butter

  • Stackt

  • Mary (You’re Such a Lady)

  • Cleaning Out The Ashtray

  • Let The Truth Be Known

  • Sunshine

  • 73

  • You’re Free

  • Trip on The Wine

  • Low Desert Punk

  • Lazy Bones / Automatic Fantastic

  • Too Many Chiefs… Not Enough Indians

  • Back In The Day

  • I Don’t Know

Comments


bottom of page