top of page
  • Foto do escritorMaria Correia

Com set voltado ao disco "Parhesia", Animals as Leaders entrega show de carisma e profissionalismo



Texto: Guilherme Gões - @thegoes_

Foto: Raphael Mastandréa - @mastandrea.bands

Realização: Overload - @overloadbrasil


Qual a chance de uma banda que toca metal progressivo instrumental (segmento obscuro e desconhecido até mesmo para grande parte do público roqueiro) colocar centenas de pessoas em uma das principais casas de espetáculo de São Paulo em plena segunda-feira? Sinceramente, você já imaginou essa situação maluca? E detalhe: tudo isso sem nenhuma divulgação ou publicidade nas maiores mídias tradicionais e ainda em dia de jogo da seleção brasileira pela Copa do Mundo.

Pois foi exatamente isso que o virtuoso trio estadunidense Animal as Leaders fez no último dia 5, no tradicional Carioca Club. O evento também contou com a participação do Duo Casagrande & Hasynz - projeto paralelo do atual baterista do Sepultura.


Formado em 2007, em Washington D.C, o grupo Animals as Leaders redefiniu a cena heavy metal ao apresentar um estilo inovador, enigmático e até mesmo "futurista", com fortes influências de djent. Em quase duas décadas de carreira, o trio lançou cinco discos full length: Animals as Leaders (2009), Weightless (2011), The Joy of Motion (2014), The Madness of Many (2016) e Parrhesia (2022). Atualmente, a banda segue divulgando o último material completo, disponibilizado em 25 de março de 2022, via Sumerian Records. A turnê do álbum já passou por dezenas de cidades nos EUA e Canadá, e agora segue pela América do Sul com datas no Brasil, Argentina e Chile.

Em pleno primeiro dia útil da semana, o público ansioso pela abertura da casa formou uma fila relativamente extensa na rua Cardeal Arcoverde. Para alegria dos fãs, o clube abriu pontualmente às 19h30. Após um tempo para a galera conferir a barraca de merch e pegar uma breja gelada no bar, o duo Casagrande & Hasynz subiu ao palco às 20h20.

O projeto formado pelos músicos João Flávio Hanysz e Eloy Casagrande começou em 2020, após uma sessão de bate-papo na rede social Instagram. Como esperado, o set contou com singles "Tentative" e "Hope Refuge". No entanto, o repertório também destacou a inédita "Unlikely" e um cover "versão math rock" de "Telephone", da cantora Lady Gaga. Apesar do tempo corrido, Eloy exibiu uma postura extremamente carismática, e ainda tentou explicar um pouco sobre o significado dos títulos das canções. Em "Now Here", o músico pediu para que todos deixassem seus smartphones de lado para se concentrar na execução da faixa. Além disso, o jovem contornou bem um problema técnico na ocasião em que o computador que auxiliava o show parou de funcionar.

As composições do duo Casagrande & Hasynz são marcadas por viradas frenéticas, tappings complexos e solos de guitarra alucinantes. Assim sendo, os integrantes da Animal as Leaders fizeram a escolha mais certeira possível ao selecionar os rapazes como atração de abertura (isso mesmo, a dupla foi convidada diretamente por Tosin Abasi e companhia para participar do show).

Às 21h40, banhados pelas luzes do Carioca Club, Tosin Abasi, Javier Reyes e Matt Garstka tomaram o cenário de forma silenciosa e começaram o show com a clássica “Tooth and Claw”, do disco "The Joy of Motion". Em seguida, o trio mandou uma dobradinha direta com duas faixas do álbum "The Madness of Many" - "Arithmophobia" e "Ectogenesis".

Ao término do bloco, Tosin Abasi cumprimentou o público e parabenizou a seleção brasileira por ter derrotado a Coréia do Sul. Na sequência, o trio dedicou um bloco inteiro ao recém lançado "Parhesia", com "Conflict Cartography", "Gordian Naught", "Thoughts and Prayers", "Asahi", "The Problem of Other Minds" e "Micro-Aggressions". Apesar de não ser algo inesperado (afinal, a nova turnê foi idealizada justamente para divulgar o material inédito), a banda poderia ter intercalado canções antigas em conjunto com as músicas exclusivas.

Aparentemente, Tosin estava muito feliz por voltar ao Brasil. Durante a execução das músicas, o rapaz não tirou o sorriso do rosto, e até brincou ao questionar: "Como eu falo "circlepit" em português?" Já a reação do público foi um espetáculo à parte. Mesmo com o peso e rapidez das músicas, a plateia quase não iniciou moshpits e crowdsurfings. Os fãs permaneceram quietos, encantados com o desempenho impecável dos músicos e hipnotizados pelos efeitos psicodélicos que estavam sendo exibidos no telão de LED da casa.

Para encerrar a noite, Tosin e companhia animaram o público com o single “Wave of Babies”, “Physical Education” (talvez o principal "sucesso" do Animal as Leaders) e "The Woven Web". Houve uma breve pausa e então uma última música de bis. Depois de uma pequena falha no som, o trio virtuoso se despediu da plateia do Carioca Club com “CAFO”, com Tosin e Javier exibindo arpeggios fenomenais e ainda engajando os fãs com gritos em coro do tipo "Hey, Hey, Hey".

Animals as Leaders exibiu carisma, técnica e interação com o público - ou seja: todos os principais elementos para um bom show. Os mestres do metal instrumental moderno protagonizaram uma noite memorável em plena segunda-feira.

SETLIST ANIMALS AS LEADERS

Tooth and Claw

Arithmophobia

Ectogenesis

Conflict Cartography

Gordian Naught

Thoughts and Prayers

Asahi

The Problem of Other Minds

Ka$cade

Micro-Aggressions

Red Miso

Wave of Babies

Monomyth

Physical Education

The Woven Web


BIS

CAFO


Kommentare


bottom of page