top of page
  • Foto do escritorMaria Correia

Russian Circles apresenta seu espetáculo atmosférico ao público paulistano no palco do Cine Joia



Texto: Guilherme Gões

Fotos: Ygor Mancoe

Com a ascensão da internet, diversos estilos musicais que dificilmente teriam visibilidade nos meios de comunicação tradicionais se tornaram fenômenos, conquistando uma vasta legião de fãs ao redor do globo. Um exemplo notável é o post rock, uma vertente da música instrumental caracterizada pela fusão de elementos sonoros atmosféricos e passagens que vão desde a música clássica até a eletrônica. Este gênero alcançou grande popularidade ao longo da década de 2010, especialmente devido ao trabalho do canal "WherePostRockDwells" no YouTube, que atualmente conta com mais de 217 mil inscritos.


Na quarta-feira, dia 3, o público alternativo de São Paulo teve o privilégio de assistir ao show do trio Russian Circles, um dos mais proeminentes representantes deste curioso movimento. O espetáculo ocorreu no Cine Joia, tradicional clube da cena indie paulistana.


Formado em Chicago, Illinois, no ano de 2004, o grupo é composto pelos talentosos músicos Mike Sullivan (guitarra), Dave Turncrantz (bateria) e Brian Cook (baixo). Reconhecida pela sua fusão única de elementos do post-rock, metal e música experimental, a banda destaca-se por suas composições complexas. Ao longo de sua trajetória, o conjunto lançou uma série de álbuns aclamados pela crítica, incluindo "Enter" (2006), "Station" (2008), "Geneva" (2009) e "Blood Year" (2019), consolidando sua posição como uma das bandas mais influentes e respeitadas no cenário musical contemporâneo. Atualmente, o trio segue divulgando o álbum "Gnosis", lançado em 2022.


Para abrir a festa, a atração escalada foi E a Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante, nome pioneiro do post-punk nacional e parte do excelente casting da Balaclava Records. Retornando às atividades após uma breve "pausa criativa" motivada principalmente pela pandemia de Covid-19, a banda aproveitou a oportunidade para destacar as músicas de seu mais recente lançamento, intitulado “Linguagem”. Foi possível notar no novo trabalho o aumento das influências de math rock, com riffs e batidas complexas, adicionando uma nova camada de profundidade ao seu som característico. Além disso, o setlist incluiu faixas do aclamado álbum “Fundação” (2019), como “Daiane” e “Karoshi”.


Com 1 minuto de antecedência em relação ao horário oficial, Mike, Dave e Brian subiram ao palco do Cine Joia imersos em um jogo de luzes esverdeadas e envoltos por uma intensa cortina de fumaça, criando uma atmosfera sombria que harmonizou perfeitamente com os riffs e batidas robustas de "Station", faixa-título do álbum lançado em 2006. Em seguida, "Harper Lewis", também do mesmo disco, introduziu uma base pré-gravada sinistra, evocando um clima de suspense que poderia muito bem entrar na trilha sonora de algum dos filmes do diretor Tomas Alfredson. Conforme a música progredia, o ritmo acelerava com as batidas furiosas de Dave, provocando uma resposta entusiástica da plateia que acompanhou com palmas ritmadas. Os fãs continuaram entusiasmados ao som dos riffs barulhentos e solos em shredding de "Conduit", a primeira faixa do álbum "Gnosis" a aparecer no repertório, com a galera chegando a formar um moshpit na pista.


"Afrika" reintroduziu a atmosfera característica do post-rock, com variações de ritmo e solos de guitarra elaborados. Contudo, o peso distintivo do trio persistiu em faixas como "Quartered", "Betrayal" e "Gnosis", nas quais os músicos alternaram entre explosões rítmicas na bateria e elementos eletrônicos nas bases pré-gravadas.


Para concluir a noite, a introdução em tapping de "Youngblood", uma das músicas mais impactantes do Russian Circles, incendiou o público, que acompanhou o ritmo da música com palmas enérgicas. Em seguida, veio "Mlàdek", demonstrando de forma definitiva o virtuosismo do conjunto.


Apesar da interação limitada com o público, beirando à total frieza, e da falta de iluminação que prejudicou o trabalho dos fotógrafos, o Russian Circles entregou um espetáculo que não apenas impressionou pelo talento musical, mas também pela atmosfera única. Foi uma experiência memorável para os fãs de post-rock.


Setlist

Station

Harper Lewis

Conduit

Afrika

Quartered

Betrayal

Gnosis

Deficit

Youngblood

Mlàdek






Comments


bottom of page