• Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey YouTube Icon

          Site criado por Ygor Nogueira, da Noguer Art Design, para Metal No Papel. 2017 Todos os direitos reservados.

Metal no Papel é um novo projeto desenvolvido recentemente com o único intuito de propagar o Metal e suas vertentes sem degradação e, sim, de alguma forma trazer o devido apoio às bandas brasileiras, contemplando as notícias e informações pertinentes ao público devido.

 
Seus colaboradores e idealizadores estão sempre presentes, na ativa, para proporcionar aos leitores, bandas e também àqueles que, mesmo em meio as adversidades, trilham um caminho árduo em produções de eventos, enriquecendo nossa cultura, para que o METAL não perca sua essência.

 

Bem vindos ao Metal no Papel!

Resenha: ‘Templars Beholding Failures’, relançamento Queiron (Digipack – 2016)

November 20, 2017

 Relançamento (2016).

 

Formada nas entranhas do caloroso Death/Black Metal , Queiron segue sua trajetória na estrada do Metal Nacional há vinte e um anos, onde os mesmos conseguiram reunir em sua bagagem musical cinco Demos, entre elas registradas como ‘Promo’, um “Split” e quatro álbuns de estúdio. Conforme esse longos anos de carreira, a banda relançou uns dos álbuns que obteve uma grande demanda de procura após seu lançamento, que ocorreu no ano de 2004.

Falo de um dos álbuns bem impactantes, intitulado como “Templars Beholding Failures” relançado com algumas parcerias de selos como: ‘Rock Club Live’, ‘Mutilation’,’Impaled Records’ e ‘Rising Records’ onde os mesmos tiveram a preocupação de trazer um trabalho bem produzido e com uma masterização excelente, além de sua arte ser produzida em uma belíssima “Digipack”, e acrescentando mais dois bônus track de sua Demo Tape (Blessed by Brutality Evil – 1998).

Dentro dessa nova Digipack, encontramos 10 faixas, entre elas uma interlúdio e mais o bônus que completam esse devastador registro, não havendo folgas e pausa para a selvageria empregada no full-length.

 

O disco abre o seu rito com “Odium Denuntiatus (Intro)”, que já dá o tom do que será a experiência auditiva. Esta é seguida por uma muquetada direta nos tímpanos “Summon Sacred Vengeance”. O full-lenght aqui já demonstra uma devastação muito forte (isso porque estamos na segunda faixa ainda).

Brutalidade, selvageria e compassos marcados por bumbos duplos cuspindo muita fúria que todos nós gostamos de apreciar em um excelente disco de Death Metal e que sempre esteve presente no som de Queiron. Mas, o que o surpreende é os grandes riffs densos e marcantes, melodias estão presentes nas faixas “Templars Beholding Failures” e a Horde Of Devastation’s Command”, exemplos de faixas que te aguça e te conduzem a seguir com as audições do “Petardo”.

 

A quinta audição fica por conta da pedrada esmagadora de moleira “Weakening Of Divine Essence”. Além desses elementos, é claro que a blasfêmia e a revolta contra a religião estão pontuadas nesse projeto. A seguinte canção vem marcada por “Ejuka Nandejara Poy’y Pe Nande Terakua Pora Há Jajai”, essa mesma faz uma menção muito marcante ao fato de os (indígenas terem morrido pelas mãos dos cristãos em virtude da colonização da América do Sul), um dos ponto fortes do álbum que eleva a compartilhar de seu trabalho chamando muita atenção nessa parte da audição.

 

“Defying Ancients Sanguinary Gods”, certamente é outra pedrada demonstrando de fato, que o álbum é um grande registro do gênero do Death Metal extremo. Na oitava faixa “The March Of Crucifiers”, o Queiron dá uma verdadeira aula de sua ideologia empregada na vertente do Metal extremo, trazendo muito disposição e gás extremamente envolvente em sua composição áspera e mórbida.

As seguintes audições ficam por conta das faixas “ Havoc Perpetuation”  e a “Fire Ostentation”, e claro sem deixar toda rítmica devastadora de lado, que a banda se dispões até esse momento da audição.

 

Também não posso deixar de mencionar que o Queiron trouxe nesse relançamento as duas faixas bônus desencadeadas de pura brutalidade, presentes em sua Demo Tape intitulada “Blessed By Brutality Of Evil” gravada no ano de 98, que são elas, “Eternal Suffocation” e You’d Better Light A Candle”, fechando essa grande obra e sendo um belo registro do Metal Extremo Nacional, marcando o relançamento que veio a tona nesse ano de 2016.

 

Atual Line – Up, Queiron:

Marcelo Daemoniipest Grous ( Guitarra / Vocal )

Luciano Fernandes ( Guitarra )

Luis Hellthorn ( Baixo )

Oscar M. Vision ( Bateria )

 

Tracklist - Templars Beholding Failures:

 

1. Oduim Denuntiatus (Intro)

2. Summon Sacred Vengeance

3. Templars Beholding Failures

4. Horde Of Devastation’s Command

5. Weakening Of Divine Essence

6. Ejuka Nandejara Poy’y Pe Nande Terakua Pora Há Jajai

7. Defying Ancients Sanguinary Gods

8. The March Of Crucifiers

9. Havoc Perpetuation

10. Fire Ostentation

 

Bônus Track:

 

11. Eternal Suffocation

12. You’d Better Light A Candle

(Blessed by Brutality of Evil – Demo Tape, 1998)

 

Links oficias:

https://www.facebook.com/queironband/?fref=ts

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Entrevistas Recentes

November 10, 2018

Please reload

Resenhas Recentes
Please reload