• Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey YouTube Icon

          Site criado por Ygor Nogueira, da Noguer Art Design, para Metal No Papel. 2017 Todos os direitos reservados.

Metal no Papel é um novo projeto desenvolvido recentemente com o único intuito de propagar o Metal e suas vertentes sem degradação e, sim, de alguma forma trazer o devido apoio às bandas brasileiras, contemplando as notícias e informações pertinentes ao público devido.

 
Seus colaboradores e idealizadores estão sempre presentes, na ativa, para proporcionar aos leitores, bandas e também àqueles que, mesmo em meio as adversidades, trilham um caminho árduo em produções de eventos, enriquecendo nossa cultura, para que o METAL não perca sua essência.

 

Bem vindos ao Metal no Papel!

KROMORTH: “O cenário nacional vem crescendo, porém falta mais apoio e valorização por parte do público” (Entrevista)

September 12, 2018

Entrevista

Nacional

Gênero Death Metal

 

Tivemos a oportunidade de bater um papo com o músico ‘Rodrigo Auad’, vocal/ guitarra e, co - fundador do nome KROMORTH, onde o mesmo nos revelou alguns pontos como:  a realização de seu primeiro álbum de estúdio, de como ocorreram as gravações desse registro e de todo o seu processo. Ainda, o músico nos revelou o que pensa sobre o Metal e suas características no tempo atual da música e os gêneros extremos presentes na “Cena Underground”.

 

Ainda, para quem não conhece o nome KROMORTH, os caras já estão há dezenove anos na estrada de muita luta em prol do Metal extremo. Formada na região de Cuiába/MT, centro Oeste de nosso País, a banda é a prova viva da resistência e a estabilidade da cena Underground brasileira.

 

Para quem quiser conhecer o trabalho dos caras deixamos o link ativo da resenha presente em nosso Portal. Vale a pena dar um a conferida na matéria: (https://www.metalnopapel.com/single-post/2018/05/19/KROMORTH---Geodesic-Beast-2018-prova-que-a-resist%C3%AAncia-e-a-estabilidade-do-Underground-brasileiro-est%C3%A1-muito-viva).

 

 

Acompanhe a entrevista com o músico “Rodrigo Auad”, sem seguida;

 

Mnp: Conte-nos como a banda surgiu e o que levaram a formá-la.

 

Kromorth: A banda surgiu em 1999, com a proposta de executar Metal extremo, o que levou a forma-la foram à vontade e determinação em ter uma banda de Metal.

 

Mnp: São dezenove anos de estrada com o nome Kromorth. Durante este trajeto quais as principais dificuldades encontradas pela banda?

 

Kromorth: Foram inúmeras dificuldades nesse trajeto, a principal sem dúvidas foi à instabilidade da formação.

 

Mnp: Como a banda enxerga o cenário nacional e a música extrema em nosso país? E como a mesma lida com isso?

 

Kromorth: Enxergamos que o cenário nacional vem crescendo, e o Metal extremo nacional tem tido espaço, porém falta mais apoio e valorização por parte do público, na verdade procuramos desenvolver o nosso trabalho e seguir em frente.

 

Mnp: Quais são as principais características de seu estado (Mato Grosso), em relação à música extrema? Há devidos espaços para desenvolver o trabalho do Kromorth e/ou pontos para tocar com regularidade? Há retorno dos “Metalbangers” da região?

 

Kromorth: A cena do MT vem crescendo também, várias bandas nacionais já tocaram em Cuiabá, tem local para as bandas tocarem e tudo mais, há um retorno do público dentro do possível, que vem deixando de comparecer nos eventos.

 

Mnp: Em termos de Brasil, o que ainda falta para o cenário funcionar? Qual a opinião da banda neste ponto?

 

Kromorth: Cito novamente a questão do público, se tem show em uma praça pública vão 1000 pessoas, se tem show cobrado vão 50 pessoas, isso devesse a vários fatores, acredito que deveria melhorar nesse ponto, sem contar as intrigas e panelas que infestam o cenário.

 

Mnp: Agora saindo deste contexto, vamos ao álbum “Geodesic Beast”. Este é o primeiro disco registrado em estúdio do Kromorth. A banda está satisfeita com o resultado?  Nos conte como foi chegar neste resultado de registrar um álbum estúdio.

 

Kromorth: O “Geodesic Beast” é o álbum de estreia e surpreendeu as nossas expectativas, estamos satisfeitos com o resultado alcançado, e o álbum foi gravado e lançado no momento certo.

 

Mnp: Falando ainda de “Geodesic Beast”, como as composições foram adequadas para o álbum? E de que forma essas composições surgiram? Elas foram feitas em conjunto com o grupo, ou cada membro trouxe suas ideias e a partir daí foi desenvolvido o contexto?

 

Kromorth: O conceito e o contexto foram pré-definidos, as composições vieram de uma base pré-definida e foram desenvolvidas em conjunto e direcionadas para o álbum.

 

Mnp: Já as gravações de “Geodesic Beast”, ocorreram no (Da Tribo Studio). Como se deu essa parceria? E como foi trabalhar ao lado de Thiago Hospede e Trek Magalhães? A expectativa da banda foi atendida com o resultado final do disco?

 

Kromorth: A nossa parceria com o “Da Tribo Studio” vem desde 2000, quando gravamos a nossa primeira demo, o estúdio tem tradição no cenário por ter gravado diversas bandas nacionais, o Trek é um irmão de longa data e trabalhar com ele e o Thiago foi incrível, eles são extremamente profissionais no quesito engenharia e produção, ter tido eles no processo de gravação do álbum foi fundamental para que chegássemos em um resultado brutalmente satisfatório.

 

Mnp: Já toda a arte para o tempestuoso “Geodesic Beast” ficou a cargo do artista Rafael Tavares. O mesmo atendeu às necessidades para o álbum? A banda pode explicar o tema empregado na arte, para o entendimento do público?

 

Kromorth: Sim! A arte do álbum ficou a cargo do renomado profissional Rafael Tavares, todo o conceito e o contexto foi transmitido a ele, e através de um belo trabalho atendeu e retratou toda a ideia da banda.

 

Mnp: Todo o projeto desenvolvido no novo álbum atende às expectativas da banda? E como a banda está digerindo a repercussão, ou ainda é recente para fazer esta análise?

 

Kromorth: O projeto do álbum atende todas as expectativas da banda, é um álbum com muito potencial, na verdade o álbum tem pouco tempo de lançado, e a repercussão tem sido satisfatória.

 

Mnp: A banda já vem trabalhando na divulgação em mini turnês para divulgar o álbum “Geodesic Beast”. Como está o retorno do público?

 

Kromorth: Sim! Estamos trabalhando a “Geodesic Beast Tour 2018” com algumas datas agendadas pelo brasil para divulgar o álbum, como eu disse anteriormente, o retorno do público tem sido pouco, esperamos que nos próximos shows o público dê um retorno maior.

 

Mnp: E quais os planos para este ano de 2018, além da divulgação do “Geodesic Beast”?

 

Kromorth: Os planos são continuar divulgando o álbum, cumprindo com as datas da tour, e tem o projeto do split com a banda Hells Ambassador em andamento previsto para ser lançado final do ano, na verdade o Split será uma prévia e pré-produção dos próximos álbuns de estúdio de ambas as bandas.

 

E para fecharmos, gostaríamos que deixassem suas considerações finais aos nossos leitores.

 

Agradeço ao MNP, pela oportunidade da entrevista ao Kromorth, e dizer aos leitores e público em geral, que o Kromorth segue avante na brutalidade extrema 666, estamos juntos!!!! Muito obrigado. Hail!!!!

 

Acompanhe o Full - álbum "Geodesic Beast", em seguida:

Acompanhe o Kromorth, em:

https://www.facebook.com/kromorth/

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Entrevistas Recentes

November 10, 2018

Please reload

Resenhas Recentes
Please reload