• Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey YouTube Icon

          Site criado por Ygor Nogueira, da Noguer Art Design, para Metal No Papel. 2017 Todos os direitos reservados.

Metal no Papel é um novo projeto desenvolvido recentemente com o único intuito de propagar o Metal e suas vertentes sem degradação e, sim, de alguma forma trazer o devido apoio às bandas brasileiras, contemplando as notícias e informações pertinentes ao público devido.

 
Seus colaboradores e idealizadores estão sempre presentes, na ativa, para proporcionar aos leitores, bandas e também àqueles que, mesmo em meio as adversidades, trilham um caminho árduo em produções de eventos, enriquecendo nossa cultura, para que o METAL não perca sua essência.

 

Bem vindos ao Metal no Papel!

Tour “The Butchers Are Back - Latin Attack 2018”: Show de São Paulo tinha tudo pra ser um fiasco para Destruction & Nervosa

September 25, 2018

Live Evil: The Butchers Are Back -Latin Attack 2018

Fotos: Carlos Pupo - https://www.instagram.com/pupo13_photo/ https://twitter.com/CarlosPupo13

Filmagens: Maria Correia

Textos: André Santos

Local: Espaço 555 – Centro de SP capital, 23/09/18

Realização: TC7 Produções & Live Co.

 

A banda alemã de Thrash Metal DESTRUCTION vêm divulgando o seu último trabalho,  intitulado de “Thrash Anthems II”. E, como já era esperado pelos Headbangers da América Latina, a Tour “The Butchers Are Back! Latin Attack 2018” passa pelo Brasil, e, o show de São Paulo poderia ter sido um fiasco, já que as bandas NERVOSA e DESTRUCTION passaram por momentos desagradáveis, com o seu retorno de Manaus à São Paulo, devido problemas no vôo.

 

Mas para alegria de todos os presentes, tudo caminhou perfeito, mesmo com atraso de uma hora, o show agendada para o último domingo, 23/09, se iniciou com a chegada dos músicos ‘Schmier, Mike e Randy’ (Destruction), ‘Fernanda, Prika e Luana Dametto’ (Nervosa), e, puderam dar o ponta – pé de mais um show da Tour “The Butchers Are Attack”. Com as portas abertas do Espaço 555, foram se acomodando os pagantes, imprensa e alguns músicos presentes ali, para presenciar a apresentação das duas bandas representantes da vertente Thrash Metal. Por mais que inconvenientes tenham surgidos, as bandas Nervosa e Destruction, não decepcionaram o seu público, e, fizeram uma apresentação devastadora para nenhum “Metalbangers” por defeito (acredito pelo fato de toda a irritações ocorridas, as bandas brilharam em suas apresentações).

 

Destruction já uma banda veterana, não decepcionou em momento algum, por mais que tenham sofrido um pouco com os ajustes técnicos, apresentou um ótimo nível musical. Já as garotas da banda Nervosa, fizeram uma apresentação animal, aliás o trio feminino vem destruindo em suas apresentações, cada momento que as vejo, enxergo o seu crescimento musical.

 

Após meia hora das portas abertas do “Pub” Espaço 555, precisamente às 20:30, a meninas da banda Nervosa sobe ao palco,e, sofrendo com a mesma irritação dos alamães, não se abalaram e levou o público ao êxtase, com um setlist matador. Geralmente a Fernanda Lira tem um costume de brincar com a galera, mas, com os problemas surgidos, a banda teve que tocar o show em frente, com composições emendadas uma em cima da outra, não dando tempo da galera respirar um instante se quer.

 

O setlist foi intenso, já que as meninas estão pondo uma boa dosagem de Death Metal em sua sonorização, no que resulta em uma densidade animal, e, a cacetada da noite iniciou a cargo da faixa de seu último álbum DownFall Of Mankind, “Horror Dome”, já deu uma noção ao público presente, de como seria a apresentação da Nervosa. Em pequena brecha entre a próxima execução, a banda dá boa noite à galera e, mete bronca em sua apresentação, que veio pela uma trinca aniquiladora  “Death, Enslave e Hostages”, que levaram o público ao delírio. E, sem perder esse clima assolador, a banda manda as composições “Masked Betrayer” e Never Forget, Never Repeat”. Um dos pontos mais altos da apresentação da banda, sem duvidas foi as faixas “Vultures,  Kill the Silence e a “Fear, Violence  and Massacre”.

 

Com um tempo bem escasso, rapidamente a Fernanda Lira, gratula e comenta de forma muito rápida: “Nervosa, não tem espaço para intolerância”, e, em seguida a banda emenda as faixas conhecidas como: “Intolerance Means  War” e a classuda “Moshpit”, pondo fim aos seu serviço ao palco do Pub – Espaço 555.

Vale ressaltar, que as meninas vêm sendo destruidora em suas apresentações: Prika está mais precisa e afiada em suas conduções harmônicas, as eficácias de sua palheta soa como socos ecoados a riffs ríspidos, já a batera Luana Dametto, impõe uma rítmica bem coesa, com ótimas pegadas nos Blast Beats, e, fechando a cozinha temos a Fernanda Lira no baixo e voz, que aliás, o seu vocal vem soando brutal e intenso. Sem dúvidas, a Nervosa vem se mostrando uma grande banda, já que a experiência que a mesma vem agregando em seu curriculum, só tem a somar em sua projeção.

 

Com o encerramento da apresentação da banda Nervosa, o palco do Pub é cedido para os conceituados alemães dos Destruction.

 

Então, por volta das 22:00hrs, a banda Destruction sobe ao palco para iniciar os seus serviços, através de um setlist (Old School), e, mais algumas surpresinhas, deixando os fãs Headbangers satisfeitíssimos  com algumas performances do trio no palco. E, tão logo após abertura programada, a banda surge ao palco em meio às fumaças já estripando os tímpanos de seu fãs, com a composição “Curses the Gods”. A mesma já demonstrava que a noite dentro do espaço 555, ia ser intensa, e, sem dúvidas foi mesmo.

 

Por mais que os músicos demonstravam irritados com os problemas ocorridos (mencionados nos parágrafos acima), a banda também sofria com os ajustes técnicos e acertos no palco. Já as próximas canções foram as responsáveis em por fogo ao espaço: “Armadeddonizer e Tomentor” fez o caldeirão ferver, levando a galera ao ápice. Já em uma breve pausa, o seu frontman fez algumas reclamações devido ao vôo, mas logo em seguida a banda apresentou uma sequência de músicas, tais elas: “Nail to the Cross, The Mad Bucther e Dethroned”, que foram as responsáveis em mais uma vez incendiar o local, levando os seus afeiçoados ao frenesi.

 

E, logo após as outras apresentações, que ficou a cargo das faixas “Release from Agony, The Ritual e Eternal Ban”, o batera ‘Randy', entra em ação com suas baquetas, extraindo um ótimo (Drum – solo), e, logo após sua emblemática performance, algumas composições mais velhas e oitentistas entraram em ação, sendo elas: “Total Disaster, Antichrist e Black Mass”.

 

Aliás, a última mencionada é a primeira vez tocada em “Sampa”, uns dos grandes presentes dado ao público. Durante o decorrer da noite, a banda foi tocando suas composições, ao que levava a galera a loucura, com as canções, “The Butchers Strikes” e “Thrash Till Death”.

 

O Schmier, frontman do Destruction, gratula os seus fãs, e, dá a oportunidade dos mesmos escolherem uma das músicas mencionadas por eles, e, sem dúvidas a escolhida aos gritos de seus fãs enlouquecidos foi a faixa “Invincible Forces”. E antes mesmo do encerramento dos serviços do Destruction ao palco, seu líder faz uma menção ao nosso estado se referindo ao público.  “São Paulo nunca desaponta”, palavras do frontman da banda Destruction. E por volta das 23:30hrs, a banda fecha seu Set com a faixa “Bestial Invasion”.

 

O domingo de todos os presentes foi contemplado por dois shows vorazes, com cada banda apresentando suas características musicais, deixando todos com aquele sorriso estampado no rosto. PARABÉNS à organização!

 

Acompanhe a performance de Nervosa no palco Espaço 555, a seguir:

Acompanhe a performance dos alemães Destruction a seguir:

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Entrevistas Recentes

November 10, 2018

Please reload

Resenhas Recentes
Please reload