• Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey YouTube Icon

          Site criado por Ygor Nogueira, da Noguer Art Design, para Metal No Papel. 2017 Todos os direitos reservados.

Metal no Papel é um novo projeto desenvolvido recentemente com o único intuito de propagar o Metal e suas vertentes sem degradação e, sim, de alguma forma trazer o devido apoio às bandas brasileiras, contemplando as notícias e informações pertinentes ao público devido.

 
Seus colaboradores e idealizadores estão sempre presentes, na ativa, para proporcionar aos leitores, bandas e também àqueles que, mesmo em meio as adversidades, trilham um caminho árduo em produções de eventos, enriquecendo nossa cultura, para que o METAL não perca sua essência.

 

Bem vindos ao Metal no Papel!

QUEIRON – “Endless Potential Of A Renegade Vanguard”

January 7, 2019

Lançamento - 2018

Selo - Heavy Metal Rock ( www.hmrock.com.br )

 

Por mais que as datas não coincidam com o seu lançamento hoje vamos falar, ou mesmo mencionar o que achamos de “Endless Potential Of A Renegade Vanguard”, lançado em 2018, sendo o seu quinto álbum de estúdio. Simplesmente este novo registro da banda Queiron, demonstra toda a sua potência que vem aliada a muita técnica e peso, uma das marcas registradas pelo quarteto desde que surgiu.  Quando ouço a pronuncia do gênero Death Metal ou mesmo a vertente (como quiser chamar), entre tantos nomes do Metal extremo, um dos primeiros nomes que vem a minha pessoa, é justamente o QUEIRON, e, desde o seu surgimento a banda sempre deixou claro para o movimento Underground para que veio e de que forma a sua sonoridade seria retratada.

 

E, exatamente o seu quinto álbum “Endless Potential Of A Renegade Vanguard” apresenta uma oxigenação brutal, já suas nove faixas apresentam muito peso e agressividade, que são orquestradas por suas cordas, aliadas à rítmica massiva e esmagadora de crânio, mas, ao mesmo tempo temos uma boa variação de melodias que se destacam entre os noves “Petardos”. Vale ressaltar, que este novo registro se destaca pela produção impecável do álbum, onde as gravações, masterização e mixagem se equalizam perfeitamente a sonorização do quarteto. Por traz desse resultado devastador estão “Guilherme Malosso Ricardo Biancarelli, e o Neto” da empresa Absolute Master. Já a arte do disco ficou a cargo do talentosíssimo “Alcides Burn”.

Como já é de costume quem conhece o Queiron, sabe que é muito difícil a banda decepcionar o seu público alvo “Deathbangers”. Pois o seus fãs vão se deliciar com seus nove “Petardos” disponíveis no “Endless Potential Of A Renegade Vanguard”, já que o álbum não massageia em nada os seus tímpanos, e, sim os estripam a cada riffs e rítmica emanada por seus músicos, que por mais que o álbum apresente certas doses de melodias, o contexto aqui é soar como um soco no pé do ouvido.

 

Mas enfim, sem muita delonga vamos às composições. O disco abre com a “Imperia Caedes”, e, sua introdução traz um ar bem melódico (como já tinha mencionado acima), mas logo a faixa ganha corpo pelas cordas mais agressivas e a rítmica empregada já vai ditando o peso que vamos a encontrar a caminho.

 

Em seguida, temos a composição “Pestis Pain”, que soa como uma verdadeira pedrada, mas ao mesmo tempo, esta faixa demonstra o quanto o QUEIRON cresceu e amadureceu a sua sonoridade, já que os arranjos para esta composição se destaca de uma forma impressionante, todos os elementos estão presentes para te levar a uma atmosfera soturna. Os trabalhos das cordas estão bem colocados fora o destaque da rítmica empregada pelas baquetas de “Oscar” que impõe muita agressividade.

 

Já a terceira faixa “Denial Upon The Heavenly Scorn”, vai fazer o ouvinte usar um babador, ou mesmo a manga de sua camisa, para secar a saliva a escorrer ao canto da boca, por ser tão tesuda (uns dos Petardos a se destacar dentro do disco). Já a “Iussu Caelest Negabunt” é uma tesuda introdução de baixo, que logo em seguida, dá espaço ao espanco de “Misleading Mission”. A mesma apresenta uma boa dose de peso e agressividade, mas com ótimas passagens de melodias que enriquece muito esta composição.

 

Já o sexto “Petardo” “King OV Dammed Proclamation”, é uma das ótimas sacadas dentro do álbum, pois a mesma apresenta uma variação de ritmos já que as melodias trabalham de uma forma envolvente. E novamente o batera “OSCAR”, se destaca nesta faixa, já que o cara apresenta um belo trabalho de baquetas, agilidade e técnica apurada para dentro da rítmica, empregada na composição, (os solos estão muito bem colocados no contexto da faixa).

 

Outra que podemos destacá-la é a faixa “Unholy Pervese Rapture”, já que a mesma traz para dentro do corpo do disco um ar, um pouco mais voltado ao Black Metal em algumas passagens da composição, fora toda a melodia presente no contexto (vale ressaltar que a dupla de “guitarman’s” desenvolve belos duelos entre as cordas). “Petardo estupidamente boa de cair o queixo”. Em “Tombs I Desecrate”, temos aquele Death Metal vigoroso segurando e dando a carga necessária ao disco (os trabalhos aqui são virtuosos em toda a sua construção).

 

E, para fecharmos a audição, temos a faixa título do disco “Endless Potential Of A Renegade Vanguard”. A mesma fecha o disco de forma bem consistente. Mas em minha humilde opinião, outras canções presentes poderiam fechar o mesmo. Já a “Endless Potential Of A Renegade Vanguard”, poderia estar entre algum caminho do disco (isso não quer dizer que a faixa seja desmerecedora para fechar o disco, ou que seja um lado negativo, mas sim, é minha visão em particular). Pois o disco é sensacional como eu mencionei nos parágrafos acima, dificilmente o Queiron decepciona.

 

Fico muito contente em ter este registro em mãos, e, vejo o quanto o Queiron cresceu e amadureceu o seu trabalho, ainda mais neste novo registro “Endless Potential Of A Renegade Vanguard”, onde a banda entregou um disco muito bem estruturado e elaborado demonstrando o quanto o Metal Nacional tem a mostrar ao mundo, já que o quarteto trouxe para dentro das esferas do Metal, muita técnica e peso, tornando o quinto disco em uma bela obra para o Death Metal.

 

Tracklist de “Endless Potential Of A Renegade Vanguard”:

1. Imperia Caedes

2. Pestis Pain

3. Misleading Mission

4. Denial Upon The Heavenly Scorn

5. Iussu Caelest Megabunt

6. king Ov Dammed Proclamation

7. Unholy Perserve Rapture

8. Tombs I Desecrate

9. Endless Potential Of A Renegade Vanguard

 

Queiron é formado por:

Marcelo Daemoniispest Grous – vocal/guitarra

Luciano Fernandes – guitarra

Luis Hellthorn – baixo

Oscar M. Vision – bacteria

 

Queiron/ contatos:

Email: queiron@bol.com.br

 

Facebook

www.facebook.com/queiron

www.facebook.com/queirondeathmetalband

 

Denial Upon The Heavenly Scorn (Lyric - vídeo):

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Entrevistas Recentes

November 10, 2018

Please reload

Resenhas Recentes
Please reload