• Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey YouTube Icon

          Site criado por Ygor Nogueira, da Noguer Art Design, para Metal No Papel. 2017 Todos os direitos reservados.

Metal no Papel é um novo projeto desenvolvido recentemente com o único intuito de propagar o Metal e suas vertentes sem degradação e, sim, de alguma forma trazer o devido apoio às bandas brasileiras, contemplando as notícias e informações pertinentes ao público devido.

 
Seus colaboradores e idealizadores estão sempre presentes, na ativa, para proporcionar aos leitores, bandas e também àqueles que, mesmo em meio as adversidades, trilham um caminho árduo em produções de eventos, enriquecendo nossa cultura, para que o METAL não perca sua essência.

 

Bem vindos ao Metal no Papel!

DEEP MEMORIES – “Rebuilding the Future” é um dos álbuns mais profundo do Metal Nacional

February 27, 2019

Selos – Heavy Metal Rock & Misanthropic Records (Brasil);

Invasion of Solitude Records do (Japão) e GS Productions da (Rússia)

 

DEEP MEMORIES é um projeto do músico experiente Douglas Matins, onde o mesmo já passou pela banda Desdominus . O álbum “Rebuilding the Future” é seu primeiro registro como One- Man- Band, já os petardos presentes dentro do álbum tem uma grande predominância para o Doom Metal, mas o músico levou para dentro desse artefato sua própria identidade, (acredito eu justamente por ser uma banda de uma pessoa só, o músico fica mais a vontade em suas criações), e, por isso que esse álbum é tão emblemático, não só por sua frieza e profundidade musical, mas por trazer composições moldadas e cadenciadas, com peso e nuances diferenciadas para dentro de suas melodias que se aliam a muita agressividade que se encaixam perfeitamente à proposta presente em “Rebuilding the Future”. Já que grandes pilares do Metal estão presentes dentro do projeto, elementos como o próprio Death, Black, Ghotic e o próprio Doom Metal, que é uma das principais bases atribuídas pelo músico, se unem ao Metal Progressivo, dando uma característica única ao disco de Douglas Martins.

 

Se você procura uma temática soturna e pesada, neste álbum encontrará essas nuances aliadas às melodias e arranjos perfeitamente bem elaborados, isso devido o domínio do músico Douglas, que além de atribuir bastante conhecimento musical, o mesmo domina muito as narrações presentes dentro dos petardos, além de trazer ótimos corais. Os vocais transitam entre o gutural rasgado, e, em certos pontos o gênero Black Metal fica bem evidente em algumas passagens das composições.

 

Já todo o conceito de “Rebuilding the Future”, foi elaborado pelo próprio músico Douglas, desde de composição, arranjos e capa. Produção e gravação feitas pelo próprio músico, que ocorreram no AJM Studio – Americana/SP.

Como o próprio título do disco diz, “reconstruindo o futuro” a temática empregada no projeto justamente te leva a esse caminho de viajar em seus próprios pensamentos. E todas as oito faixas te levam a essa caminho, e, te conduzem justamente pela questão lírica que está muito bem empregada em “Rebuilding the Future”, como já tinha dito nos parágrafos acima. O disco tem um lado profundo e soturno em sua elaboração. O disco já abre de uma forma bem impactante não só no instrumental que te leva a outra atmosfera. A “When  The Time For My Last Breath Comes”, já é uma composição soberba, e, demonstra o nível musical de Douglas.

 

Outra que não foge da linha soturna é a composição “Suffocating Grayish Darknees”, repleta de melodias e arranjos se destaca, já como a segunda audição do play. A próxima que chega chamando muita atenção em sua abertura narrativa é faixa “There Is No End”. Os vocais rasgados que Douglas acentua na composição e dá um ar bem gélido em sua extensão, fora o peso e agressividade aliados nos arranjos bem orquestrados por Douglas.

 

Já a 4° audição é uma dos destaques do álbum, falo de “Rebuilding the Future”. Os arranjos de “Between Two Demension” é uma das mais tesudas que ouvi dentro do pacote de petardos, é profunda em sua letra e nuances. Destaque para os vocais emplementados que Douglas desenvolve que vão do rasgado aos vocais mais limpos chegando até soar como uma obra lírica (aliás é uma obra). E, meio que seguindo a linha de sua antecessora faixa, às vezes dá a impressão que a mesma emendou, temos a faixa “Looking At The Black Mirror”, que é uma das faixas que podemos destacar.

 

Já “The Bitter Taste Of Illusion” se destaca por seus corais, dando um ar bem sofisticado a composição. Claro que vale ressaltar que todo ponto lírico da faixa é muito bem construído.

 

Outra faixa que podemos destacar é a composição “Explicit Way To Relieve Pain”. A mesma traz as principais características de Douglas Martins. O gênero Doom Metal é bem evidenciado neste ponto do Disco. E, para fechar o disco temos uma faixa instrumental que representa muito bem este lado mais progressivo do músico, falo de “Erased Directed Mindsets”, que por sinal muito bacana.

 

Tracklist de “Rebuilding the Future”:

When The Time For My Last Breath Comes

Suffocating Grayish Darkness

There Is No End

Between Two Dimension

Looking At The Black Mirror

The Bitter Taste Of Illussion

Explicit Way To Relieve Pain

Erased Directed Mindsets

 

Acompanhem Deep Memories em:

deepmemories.com.br

facebook.com/deepmemoriesbrazil

Instagram.com/deepmemoriesbrazil

deepmemoriesbrazil@gmail.com

 

Deep Memories - Suffocating Grayish Darkness:

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Entrevistas Recentes

November 10, 2018

Please reload

Resenhas Recentes
Please reload