• Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey YouTube Icon

          Site criado por Ygor Nogueira, da Noguer Art Design, para Metal No Papel. 2017 Todos os direitos reservados.

Metal no Papel é um novo projeto desenvolvido recentemente com o único intuito de propagar o Metal e suas vertentes sem degradação e, sim, de alguma forma trazer o devido apoio às bandas brasileiras, contemplando as notícias e informações pertinentes ao público devido.

 
Seus colaboradores e idealizadores estão sempre presentes, na ativa, para proporcionar aos leitores, bandas e também àqueles que, mesmo em meio as adversidades, trilham um caminho árduo em produções de eventos, enriquecendo nossa cultura, para que o METAL não perca sua essência.

 

Bem vindos ao Metal no Papel!

Venuz homenageia mulheres da música em clipe

November 24, 2019

By OrBe Comunicação

No Dia do Músico, a Venuz homenageia todas às mulheres da música com a versão para “House of the Rising Sun”, canção de domínio público. Primeira vez que a banda canta em inglês, a letra fala sobre um local chamado “Rising Sun”, em New Orleans, e já foi cantada pela banda The Animals, Five Finger Death Punch, e até mesmo Bob Dylan! A versão da Venuz traz um olhar feminino sobre a música e foi gravado no pub carioca O Pecado Mora ao Lado, com uma ambientação burlesca, evocando o clima dos anos 30.

 

A música “House of the Rising Sun” é repleta de histórias. Como uma canção de domínio público, ninguém sabe ao certo o ano de origem, muito menos quem a compôs. O primeiro registro que se tem acesso, era cantado no eu-lírico feminino, e falava sobre mulheres que trabalhariam em Rising Sun. A tal casa do sol nascente (em livre tradução), pode ser um cabaré chefiado por Madame Le Soleil Levant, ou o presídio feminino da cidade, cujos muros tinham a imagem de um sol nascente.

 

Nós decidimos, pelo nosso viés feminista, resgatar as origens dessa canção, trazendo novamente o eu-lírico para o feminino, e invertendo o papel do pai e da mãe. Além disso, optamos por retratar a história do cabaré, por também estar associado à música. Pelo mesmo motivo, gravamos o clipe em um pub vintage no coração do underground carioca, no Pecado Mora ao Lado, no Garage (ao lado da Vila Mimosa, área da prostituição no Rio). Percebe-se então muitos links e gatilhos entre clipe, história e letra adaptada.”, detalha Aíla Dap (voz).

Esta é mais uma versão exclusiva da Venuz (que já adaptou o funk “Quero Que Tu Vá”, da Ananda, para o rock). Desta vez em inglês, a música não perde a veia feminista que a banda traz como marca registrada.

 

“Perceba que no final - e fizemos questão de mostrar isso no clipe - que há um orgulho em pertencer a casa. Antes foi digna de ruína, e hoje é a glória de mulheres que não ligam para a moral e os bons costumes. Não há como uma música representar melhor o lema da Venuz!”, define Aíla Dap.

 

Uma das bandas de destaque do rock carioca, a Venuz é atitude rock n’roll e feminismo. Com influências do hard rock e de nomes como Hole, Pitty, The Runaways e Rita Lee, o grupo planeja o próximo disco, enquanto continua a divulgar o EP “RebELA”, lançado em 2018. A Venuz é Aila Dap (voz), Juliana Valente (bateria), Carol Vianna (baixo), Valentinne Di Paula (guitarra) e Renata Guterres (guitarra).

A ficha técnica de “House of the Rising Sun” traz Francisco Patrício (gravação, mixagem e master), Bruna Santiago (produção de vídeo). Já o local onde o clipe foi gravado é o pub Pecado Mora ao Lado (Praça da Bandeira/RJ).

 

Assista “House of the Rising Sun”: 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Entrevistas Recentes

November 10, 2018

Please reload

Resenhas Recentes
Please reload