top of page
  • Foto do escritorMaria Correia

Encontro de gerações presenciam apresentação icônica de 40 anos de estrada da banda FM em show único na capital paulista




Texto: Filipe Moriarty

Fotos: Alessandra Rosato

No último dia 20 de março de 2024, o Manifesto Bar, em São Paulo, testemunhou uma noite única de AOR Rock com a lendária banda britânica FM. O local, que já viu muitos shows memoráveis, mal conseguia conter a energia dos fãs que se reuniram para testemunhar o retorno triunfante dos ícones do rock melódico.


Formada em 1984, o FM, a banda britânica de AOR (álbum-Oriented Rock),ficou conhecida por suas melodias cativantes, letras emocionais e excepcionalidade musical. Alcançando o destaque durante a era dourada do rock nos anos 80 e 90. Com uma mistura de rock melódico, elementos de pop e influências do hard rock, FM criou um som distintivo que atraiu uma base de fãs leais em todo o mundo. Com uma carreira marcada por álbuns aclamados pela crítica e hits radiofônicos.


Consagrada e uma das bandas mais respeitadas no cenário do AOR, o FM pisou pela primeira vez no Brasil, o que em si já é um fato intrigante, mas esperado, vimos o mesmo acontecer com o Def Leppard em sua primeira apresentação no Brasil. Por se tratar de um estilo não muito difundido no Brasil, acaba que a banda fica fora dos radares de produtoras por aqui.


Formado atualmente por Steve Overland (vocais, guitarra), Jim Kirkpatrick (guitarra), Merv Goldsworthy (baixo), Pete Jupp (bateria) e Jem Davis (teclados), e com um setlist repleto de clássicos e faixas icônicas, a noite começou com uma explosão de emoção quando a banda subiu ao palco e começou a tocar "Synchronized", do álbum de mesmo nome. A plateia, enlouquecida, acompanhou cada nota, cantando junto e mostrando que estavam prontos para uma noite inesquecível.


Logo em seguida, a banda mergulhou em "Tough It Out", faixa-título do álbum que solidificou seu lugar no cenário do rock nos anos 90. A energia pulsante da música contagiou a todos, e o Manifesto Bar era pequeno demais para conter a emoção que transbordava de cada fã.


A noite continuou com uma mistura habilidosa de sucessos conhecidos e gemas menos conhecidas, como "Killed by Love" do Atomic Generation de 2018, “Someday” e ”Let Love Be the Leader" do já citado Tought It Out de 1989, mantendo a audiência em um estado de êxtase constante.


Uma surpresa emocionante veio com a interpretação de "Everytime I Think of You", que veio entre a quarta faixa e a sexta, a canção é um tributo à Eric Martin, que só serviu para atestar o talento da banda para interpretar clássicos do rock.


"Let Love Be the Leader", também esteve presente no setlist, cativando os ouvintes com sua melodia envolvente e letras que celebram o poder do amor para guiar e inspirar. Seguindo de “Out of the Blue” do vindouro disco Old Habits Die Hard previsto para maio de 2024, “The Dream That Died” do clássico de 1989 também foi evocada.


“The Dream That Died” com sua batida pulsante e guitarra sedutora, levou os ouvintes em uma emoção pura, é incrível o desempenho ao vivo do grupo, Steve Overland ainda mantém integra suas habilidades vocais, obviamente mais maduras - mas ele consegue manter o tom original e como muito dizem - ‘soar como no estúdio’.


“Espero que tenha sido inesquecível tanto quanto foi para nós. Iremos voltar em breve!”, disse Overland em dado momento. mostrando que há chance de vermos o F.M novamente em breve e em um espaço maior - afinal ficou claro que o Manifesto não deu conta do tamanho do F.M.


“Don’t Stop” do disco de 1989, “American Girls”, “Frozen Heart”, ambas do debut “Indiscreet” (1986), e “Does It Feel Like Love”(também de 1989), fizeram a sequência, emendando com o clássico absoluto “That Girl”, faixa de abertura de “Indiscreet”, fez o Manifesto Explodir aos gritos por todos os presentes.


Toda a apresentação é uma ode à juventude e à emoção, deixando uma marca indelével em quem a ouve. À medida que o setlist avançava, o clímax da noite se aproximara, primeiro com "Frozen Heart" do disco Indiscreet de 1986 e segundo com “Does it Fel Like Love” do disco de 1989. As faixas que se seguiram “Bad Luck” e “I Belong to the Night” - faixa que pode ser considerada o momento mais alto da apresentação e talvez a faixa mais poderosa em termos de popularidade do grupo, mantiveram esse intercalo entre 1989 e1986, até a chegada de “Turn This Car Around” - faixa do disco Thirteen de 2022.


O encore ficou com "Story of My Life”, do sétimo disco de estúdio do FM, o Rockville de 2013 - nesse momento era possível ver o quanto alguns fãs estavam emocionados,

afinal a balada poderosa foi o motivo de várias lágrimas aos olhos de muitos fãs apaixonados. Em "Face to Face" ,do disco de 86, novamente a energia se elevara, antes de finalizar com "Other Side of Midnight”(também do disco de 1986 Indiscreet), deixando os fãs extasiados e com fome de mais.


No final, o show do FM no Manifesto Bar não foi apenas uma apresentação, foi um momento único que, sem sombra de duvidas, pode juntar tanto fãs da mais tradicional geração, quanto da nova geração. Com músicas poderosas, performance arrebatadora e uma conexão imensa com seus fãs, a banda provou mais uma vez por que são verdadeiros titãs do AOR Rock. E para aqueles que tiveram a sorte de estar lá naquela noite, foi uma jornada inesquecível que os deixará ansiando pelo próximo encontro com esses ícones do rock.



SETLIST:

Synchronized

Tough It Out

Killed by Love

Someday (You'll Come Running)

Everytime I Think of You (Eric Martin cover)

Let Love Be the Leader

Out of the Blue

The Dream That Died

Don't Stop

American Girls

Frozen Heart

Does It Feel Like Love

That Girl

Bad Luck

I Belong to the Night

Turn This Car Around

Encore:

Story of My Life

Face to Face

Other Side of Midnight

Comments


bottom of page