top of page
  • Foto do escritorMaria Correia

Paul McCartney e fãs mergulham profundamente em um show longo de humor, paixão e doces lembranças


Texto: Jéssica Marinho Fotos: Marcos Hermes


Antes de começar, deixo um comentário pessoal e curioso: eu não sou fã de Beatles, no máximo gosto da fase do 'White album' e 'Abbey Road', e prefiro as carreiras solo do Paul e George. Mas não há como negar que McCartney é uma das figuras vivas mais significativas da música e seus shows são sempre um acontecimento marcante. Um show de Paul McCartney pode lhe trazer algumas das memórias musicais ao vivo mais especiais que você já teve - retorno a fazer um comentário pessoal: sendo a primeira vez que assisto ao show do paul, me trouxe memórias de quando era criança e meu pai colocava para tocar Beatles e músicas da carreira solo como "No More Lonely Nights", "Coming Up" e alguns duetos, que aliás eu teria adorado ver ao vivo mas infelizmente ele não toca. Antes do show, há uma grande introdução com o telão mostrando a história de Paul de forma bem dinâmica, com fotos de sua infância, começo dos Beatles, carreira solo e terminando com seu clássico baixo Höfner. Em um show de duas horas e meia - que até é pouco para representar a magnitude de um artista como esse -, o setlist longo de 36 músicas, sempre irá receber críticas ou elogios, eu mesma queria ter visto músicas que Paul não canta, e também ouvi fãs comentando sobre ter ou não aquela música dos Beatles... Mas é um setlist bem estruturado e Paul McCartney sabe o que as pessoas preferem e que as músicas dos Beatles têm a melhor recepção, eu adorei ouvir ao vivo "Hey Jude", "Helter Skelter" e a que mais gosto do Fab Four: "Something", com uma homenagem ao meu Beatle preferido: George Harrison - engraçado alguém que não gosto de Beatles falar "meu Beatle preferido". A canção"My Valentine" foi dedicada a sua esposa Nancy, (este single conta com um clipe interpretado por Natalie Portman e Johnny Depp, que foi mostrado no telão durante a apresentação) e "Here Today" foi dedicada ao seu amigo John Lennon. Em "Something", Paul começa tocando ukulele e depois a canção ganha energia com sua banda maravilhosa. "Live And Let Die", de sua banda Wings, foi emocionante, com um show incrível de pirotecnia - talvez seja a melhor canção em questão de efeitos visuais -, fazendo jus ao oitavo filme da franquia James Bond, 'Live and Let Die'.


Aos 81 anos, McCartney está cheio de energia, oscilando com facilidade entre guitarra, baixo, teclado e ukulele, lembrando o motivo de ser um dos maiores músicos e mostrando para o vários jovens no show o motivo desse título. Sua voz se desgasta naturalmente com o tempo, mas ele ainda atinge notas altas e se mantém como um dos maiores, aguentando 3 horas de show com maestria, levando lágrimas aos olhos dos fãs que sempre o acompanham e brilhos aos olhos de quem o conhece pela primeira vez por incentivo de pais, avós ou amigos - nunca vi tanta criança em um show, isso é algo que eu adoro. A banda que o acompanha é experiente e afiada, e o próprio McCartney está em uma forma charmosa e dançante, sempre brincando com o público, arriscando frases em português e fazendo suas dancinhas - é notável que Paul faz o que gosta e se diverte com isso. O show conta com músicas da carreira solo, da fase Wings e claro, do Fab Four, das antigas às mais recentes, com clássicos dos Beatles que fazem o público entrar em êxtase - daqueles primeiros discos emocionantes dos Beatles, como a abertura “Can't Buy Me Love” e o single de estreia da banda em 1962, “Love Me Do”, até os últimos singles como "Let It Be" e "Get Back". Até quem odeia Beatles iria se arrepiar com um estádio inteiro cantando "Hey Jude", é algo que não tem como descrever em uma resenha, é preciso estar lá para sentir. A canção encerra um show perfeito - só que não. No bis, Paul retorna com mais sete canções, começando com "I've Got a Feeling", outra homenagem ao velho amigo de McCartney, John Lennon, que entra para cantar o último verso e refrão através de vídeo, reparei o olhar dos fãs de Beatles - outra coisa difícil de descrever. Esse dueto virtual com John Lennon é retirado do famoso show dos Beatles no telhado da sede da Apple Corps, em 30 de janeiro de 1969, uma ótima alternativa perante a ascensão da AI, que poderia trazer John de volta. Sendo um vegetariano apaixonado que há muito defende a necessidade de proteger o planeta, a sua gentileza inerente é agora elogiada como uma virtude e o passado é algo que McCartney carrega levemente com a mesma paz e amor que ele demonstra desde a juventude, as lembranças de uma carreira admirável e toda a paixão que os fãs exalam - dos mais velhos aos mais novos. Ele se sente emocionado e é nítido que tem prazer em tocar, sua banda é como uma família e todos têm a mesma energia e conexão, criando um espetáculo grandioso e que todo mundo deveria assistir pelo menos uma vez na vida - até que não gosta de Beatles. Paul McCartney fará mais dois shows em São Paulo, nos dias 9 e 10, além de passar por Curitiba dia 13 e fechar a turnê no Brasil com o esperado show no Maracanã no dia 16 de dezembro, que será transmitido ao vivo através das plataformas de streaming Star+ e Disney+. A apresentação está programada para começar às 21h15.




Setlist


Coming Up (04 Summer Tour Remix) - tape

A Day in the Life (The Beatles) - tape


Can't Buy Me Love(The Beatles)

Junior's Farm (Wings)

Letting Go (Wings)

She's a Woman (The Beatles)

Got to Get You Into My Life (The Beatles

Come On to Me

Let Me Roll It (Wings)

Getting Better (The Beatles)

Let 'Em In (Wings)

My Valentine

Nineteen Hundred and Eighty-Five (Wings)

Maybe I'm Amazed

I've Just Seen a Face (The Beatles)

In Spite of All the Danger (The Quarrymen)

Love Me Do

Dance Tonight

Blackbird (The Beatles)

Here Today

New

Lady Madonna (The Beatles)

Jet (Wings)

Being for the Benefit of Mr. Kite! (The Beatles)

Something (The Beatles song)

Ob-La-Di, Ob-La-Da (The Beatles)

Band on the Run (Wings)

Get Back (The Beatles)

Let It Be (The Beatles)

Live and Let Die (Wings)

Hey Jude (The Beatles)



Encore:

I've Got a Feeling (The Beatles)

Birthday (The Beatles)

Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (Reprise) (The Beatles)

Helter Skelter (The Beatles)

Golden Slumbers (The Beatles)

Carry That Weight (The Beatles)

The End



Comments


bottom of page