• Maria Correia

Blues Pills: Em sua estreia no Brasil, quarteto sueco prova que o Rock tem salvação


Texto e Fotos:

Belmilson Santos - @bel.santosfotografia


Assessoria:

Top Link Music - @toplinkmusic

✔Assessoria:

Isabelle Miranda - @isabelemirandatv

Pode não ter sido o melhor ou pior, o mais cheio ou mais vazio show que São Paulo recebeu neste ano, mas sem dúvida foi o mais enérgico


O Blues Pills chegou, passou seu rolo compressor Soul N´Roll e nos provou que uma nova geração, uma geração globalizada pode gerar uma banda com todo o swing possível vinda da improvável Suécia.


Comandados por uma carismática e fantástica vocalista, uma estrela chamada Elin Larsson, a banda nos proporcionou noventa minutos de rock, soul, blues e toda a amálgama que gira nesse universo, principalmente calcada na década de 70.

Abrir com "Proud Woman". primeira faixa de seu mais recente disco "Holy Moly" lançado em 2020 provou-se um acerto e também mostrou que a plateia estava pronta pra cantar alto suas músicas.


Frenética desde a primeira música, Elin Larsson comandou o espetáculo que continuou privilegiando o último disco com "Low Road", a fantástica "Dreaming My Life Away" e "Kiss My Past Goodbye".


O passado compareceu com "Astralplane" e a já clássica "High Class Woman" do primeiro disco autointitulado de 2014.



Musicalmente a banda é perfeita, mesmo a estrela maior sendo a vocalista. Ótima cozinha e com um guitarrista talentoso com um ótimo timbre.


O segundo álbum compareceu com a faixa título "Lady In Gold", "Little Boy Preacher" e comprova a regularidade que essa jovem banda vem tendo em sua carreira."Bye Bye Birdy" fecha a primeira parte do show com a vocalista literalmente indo pra galera enquanto a banda mandava energia vinda do palco.

No bis surgem a climática "Little Sun" e a pesada "Devil Man" pra encerrar um dos melhores shows do ano em São Paulo.


Elin Larsson brilha tanto que acho que será questão de tempo emendar numa carreira solo. Eu espero que isso não aconteça, pois a química da banda é perfeita e só vem produzindo música da melhor qualidade.


A banda soa muito mais pesada e dinâmica ao vivo do que em estúdio, então se em estúdio já ótimo, ao vivo eles são perfeitos.

Longa vida ao Blues Pills.